Enxertos
Não é rara a situação onde um paciente procura o dentista para fazer um determinado tratamento, como um implante, e o cirurgião dentista da o seguinte diagnóstico: “Não é possível fazer o implante pois você não tem osso suficiente”. Na verdade, ao perder um dente , seja por alguma doença, trauma , ou qualquer outro motivo, fatalmente teremos perda óssea na região afetada, que poderá ter proporção grande ou pequena. Quando a perda óssea é grande , impreterivelmente teremos que recuperar o tecido ósseo perdido antes de qualquer procedimento reabilitador. Ou seja, teremos que lançar mão dos procedimentos de enxerto. Estes enxertos podem ser de tecido ósseo ( duro ) ou tecido gengival ( mole ). Estas cirurgias podem ser feitas em ambiente ambulatorial ( consultório previamente preparado ) ou ambiente hospitalar. O controle da dor durante o procedimento é muito eficaz, podendo o paciente fazer a cirurgia totalmente sedado. Quanto ao pós-operatório, com os potentes antiinflamtorios e analgésicos ministrados atualmente o controle da dor é total, exigindo eventualmente algum período de recuperação para o retornos às atividades habituais ( trabalho, exercícios físicos, etc. ). Veja os casos abaixo onde foram empregadas técnicas de enxertia.
 
 
Caso1
Distração Osteogênica
consulte as especialidades
Implantes
Restaurações
Tratamento de
canal
Próteses
Tratamento periodontal (gengiva)
Estética e cosmética dental
Odontopediatria
Ortodontia
Reabilitação oral
Cirurgia
Tratamento com Sedação
Clareamento
Enxertos
Orto-Implante
Facetas de Cerâmica
Voltar à página inicial
© 2002 Roberto Puertas Garcia - R. 7 de Abril, 264 - cj 1201 e 1202 - Fone 3259-0414 - Centro - São Paulo (SP)
Mapa de localização